29 outubro 2009



Realmente hoje o terceiro dia da escola foi sensacional.

Dr. Myles Munroe nos impactou com a palavra de Deus que foi algo profundo e revelador para todos nós que estamos aqui,o segredo ,mistérios revelados com grande conhecimento da parte de Deus.
Deus enviou dois Adãos para terra um não teve infância foi instantaneamente criado,não teve treinamento ,não tinha paz ,falhou e caiu.
Liderança instantânea, não foi bom disse Deus .
Vou criar outro adão ele será bebe nascerá de uma mulher , vai sentir como é tudo deste o principio –
Primeira tentação teve sucesso ....
1- Nada acontece sem liderança
2- Nada muda sem liderança
3- Nada se desenvolve sem liderança
4- Nada melhora sem liderança
5- Nada é corrigido sem liderança
6- Todo mundo em todo lugar estão sob uma liderança.
A liderança é marcante em qualquer parte .
Liderança pode transformar covardes em lutadores .
Atitude –
Os lideres nãi vivem pelo que vêem mas pelo que pensam.
Atitude é produto da liderança –crer nisso o torna mais forte a cada dia ,
Esse foram alguns dos tópicos que o Dr. Myles pregou nessa noite maravilhosa para todos nós a ESLAVEC- escola de lideres da associação vitoria em cristo tem sido para o crescimento da igreja em todo o Brasil –graças a Deus
Um abraço e até amanhã
Direto de águas de Lindóia SP.

24 outubro 2009

lula e judas

A senadora Marina Silva (PV-AC) classificou nesta quinta-feira como uma “metáfora infeliz” a declaração do presidente Luiz Inácio Lula da Silva sobre a necessidade de fazer alianças. Em entrevista à Folha, Lula disse que Jesus Cristo teria que fazer uma coalizão com Judas se precisasse de apoio numa votação. “Se Jesus Cristo viesse para cá, e Judas tivesse a votação num partido qualquer, Jesus teria de chamar Judas para fazer coalizão”, afirmou Lula.Visite:

“Nem todas as metáforas são felizes e essa é uma metáfora infeliz. Obviamente que Jesus já nos mostrou que a aliança com Judas, quando a gente já sabe que ele é Judas, não deve ser feita. Jesus apostou que Judas poderia fazer diferente o tempo todo, mas quando ele se declarou Judas, não houve mais um lugar naquele momento. Foi uma metáfora infeliz”, afirmou Marina.
Questionada se o PMDB –que nesta semana fez um pré-acordo com o PT para as eleições de 2010– seria o Judas, Marina ressaltou que existem muitas pessoas sérias dentro do partido e que, se o assunto for generalizado, poderia cometer injustiças.
A senadora também defendeu a reforma política como forma de evitar que os partidos deixem de se comportar como “máquinas de ganhar poder”.
“Os partidos precisam deixar de se comportar como máquina de ganhar poder e assumir que têm que discutir projetos, ideias e o que pensa para o país. Obviamente que isso só vai acontecer se fizermos a reforma política. Mas, os partidos não são o problema. O problema é o que estão fazendo com essas estruturas que estão, cada vez mais, virando espaço de ganhar o poder pelo poder”, disse.
Evangélica da Assembleia de Deus, Marina participou hoje do simpósio “Espiritualidade do Cuidado”, promovido pela Primeira Igreja Presbiteriana Independente de São Paulo, sobre ambiente.
A senadora falou sobre a necessidade do “uso cuidadoso” dos recursos naturais do planeta e se identificou com os fiéis ao chamá-los de irmãos e citar vários trechos da Bíblia. Também sugeriu aos líderes da igreja que, quando forem trocar o púlpito, que exijam um móvel de madeira certificada.
O pastor titular da Primeira IPI, Abival Pires da Silveira, explicou que a presença de Marina não teve objetivo eleitoral, uma vez que a senadora é pré-candidata à Presidência da República. Segundo ele, o simpósio começou a ser preparado há mais de um ano, antes de Marina deixar o PT e mudar o cenário político nacional. “Não tem conotação política, embora os outros tentem usar politicamente”, disse.
Fonte: Folha On-line / Gospel+

02 outubro 2009

o rio vence - o Brasil vence

Rio venceu Madri por 66 a 32 na votação decisiva para ser sede dos Jogos Olímpicos de 2016

Madri ganhou a primeira votação por apenas dois votos, mas depois acabou superada

Do R7

Pawel Kopczynski/ReutersFoto por Pawel Kopczynski/Reuters
O presidente Lula e Pelé foram os principais cabos eleitorais do Rio

O Rio de Janeiro venceu Madri por 66 a 32 no último turno de votação para a escolha da sede dos Jogos Olímpicos de 2016, eleição realizada nesta sexta-feira (2) em Copenhague, na Dinamarca.

Apontada como favorita antes do início da votação, a candidatura carioca só não venceu a primeira votação, que foi bastante equilibrada: Madri levou a melhor, com 28 votos, contra 26 do Rio, 22 de Tóquio e 18 de Chicago, que foi eliminada.

Veja fotos da festa em Copacabana

CBF fará plano inédito para medalha de ouro em 2016

Na segunda etapa, o Rio "herdou" a maior parte dos votos de Chicago e assumiu a primeira posição, com 46 votos, contra 29 de Madri e 20 de Tóquio.

Com mais quatro votos, a candidatura carioca já teria conseguido a vitória por maioria de votos, mas foi necessário um terceiro turno, apenas com os dois mais votados. Então, o Rio disparou na preferência do colégio eleitoral, com 66 votos, contra 32 da campanha espanhola.

Lascívia na Igreja