NA AFRICA VALDEMIRO TAMBÉM ENFRENTA PROBLEMAS


Congregação alastra-se por Angola

Os mais altos responsáveis da Igreja Mundial do Poder de Deus (IMPD) encontram-se a trabalhar na província do Moxico, onde realizarão, este final de semana, um culto especial, denominado Concentração de Milagres.
A IMPD é conhecida por ser uma das igrejas que mais cresce em Angola, tendo templos espalhados por diversas provincias do país e comovendo os angolanos “ávidos de milagres” através de programas televisivos emitidos diariamente pela TV Zimbo (das 5horas às 6horas) e pelo seu canal alojado na DSTV.
Ao ver um dos supostos milagres realizado pelo “apóstolo” Valdemiro Santiago, o líder e fundador da Igreja, durante uma das suas pregações exibidas na televisão, a jovem Catarina da Conceição, 22 anos, achou que teriam a cura para a doença que a vem fragilizando há seis meses.
Fragilizada e sem forças para caminhar e mesmo manter-se em pé, com a cadeia óssea do peitoral visível, encontrava-se sentada num dos bancos arrumados no canto direito do templo sede da IMPD em Angola, localizada no bairro do São Paulo, junto ao Cine. Do outro lado dos bancos, onde se encontrava a nossa interlocutora, estava uma outra jovem, que também se encontra adoentada, a dormir no chão simples, coberta apenas por uma peça de pano.
“Quem me ajudou a chegar aqui é uma moça que se comoveu com a minha situação ao me ver abandonada na rua. Como eu já pretendia mesmo vir aqui porque os meus irmãos da Igreja Universal do Reino de Deus, na Catedral da Fé (no Alvalade), me negaram ajuda, não hesitei”, contou a jovem que vivia no bairro do Mártires do Kifangondo, mas que os seus familiares a expulsaram de casa por não estar a melhorar.
Enquanto prestava declarações à equipa de reportagem de O PAÍS, na manhã desta quarta-feira, 21, Catarina da Conceição aparentava estar calma e dizia que estava a sentir-se melhor em relação aos outros dias.
Para além das orações, tem tomado também a medicação que lhe foi receitada pela médica que consultou alguns dias antes de ser expulsa de casa.
Apesar das péssimas condições de acomodação, ao fazer uma comparação entre os três dias que se encontra na Igreja e os seis meses que ficou em sua casa a beneficiar de cuidados médicos, disse que se sentia abençoada por Deus porque estava a melhorar.
“Passamos o dia aqui fora e dormimos lá dentro. Quem nos dá comidas são os crentes que se disponibilizaram a ajudar-nos”, explicou a jovem, cuja filha de sete anos ficou ao cuidado dos seus parentes porque o seu namorado a abandonou assim que soube que estava grávida.
Para melhor acomodar a enorme moldura humana que diariamente adere a esta religião, os responsáveis da igreja decidiram ampliar as estruturas do seu templo sede, localizado no São Paulo.
Na outra lateral do quintal, junto a um tanque de betão que serve de local para os baptismos, estava um outro pastor debaixo de uma tenda ladeado de plantas, a quem os crentes iam apresentar as suas aflições.
Depois de ouvi-la, levantou-se, meteu à mão direita na cabeça da sua interlocutora e, de seguida, começou a fazer uma oração pedindo a Deus que expulsasse os demónios que a afligem.
No seu interior, com capacidade para mais de 500 pessoas estavam apenas cerca de 50 pessoas a participarem do culto que era pregado por um jovem de nacionalidade angolana e que aparentava ter menos de 35 anos.
Com um sotaque abrasileirado, o pastor pedia aos demais fiéis que elevassem as mãos ao alto, suplicando a Deus que os curasse de todas as aflições. Sem hesitar e acreditando cegamente que o Senhor estava naquele local, como lhes haviam garantido, cumpriam escrupulosamente todas as orientações.
EXPULSOS POR DENUNCIAREM DESCAMINHOS DE DINHEIRO
Esta não é a primeira vez que altos responsáveis da IMPD são acusados de se apropriarem do dinheiro dos fiéis. O ano passado, o jornal Agora denunciou que três pastores angolanos haviam sido expulsos pelo Bispo brasileiro, Juliano Marques, por se ter descoberto o descaminho sistemático do dinheiro depositado pelos fiéis para o crescimento desta nova denominação religiosa, numa cerimónia religiosa realizada no Cine São Paulo, em Luanda.
Os expulsos estimavam que teriam sido desviados, em menos de um ano de actividade, mas de três milhões de dólares. Na ocasião, dizia-se que os missionários brasileiros encontravam muitas facilidades financeiras e boa parte da facturação tem sido aplicada para potenciar outros negócios no país e no estrangeiro.
A venda de 1350 gravatas a 50 mil kz cada, ou de várias esferográficas a 10 mil Kz, sob pretexto de cura divina de enfermidades, era apontada com um exemplo de como os crentes estão a cair na “armadilha” dos brasileiros.
O ‘caldo terá entornado’ ao descobrir-se que o genro do líder da IMPD e responsável máximo do ministério em Angola, Juliano Marques, residia numa vivenda alugada em Talatona por 28 mil dólares/mês, além de possuir carros, empregados e outras regalias, quando os ministros angolanos recebem apenas 30 mil kwanzas.
“A igreja transformou-se numa forma de enriquecimento familiar. Quase todas as semanas chegam brasileiros que regressam com os bolsos cheios”, referiu a fonte. 

Crentes confiam no ‘apóstolo’

A reportagem exibida no programa Domingo Espectacular, da TV Record, aparenta não ter abalado muito os crentes, pastores e bispos da Igreja Mundial do Poder de Deus em Luanda.
De acordo com informações apuradas por O PAÍS, os fiéis acreditam cegamente na inocência do líder fundador da Igreja e consideram que a matéria é mais uma forma que o Bispo Edir Macedo encontrou para denegrir a sua imagem.
“Se o Apóstolo tivesse a intenção de roubar o dinheiro dos fiéis para comprar a fazenda, tê-la-ia posto em nome da Igreja? Certamente que não e teria postos em nome de um amigo que aceitasse ser seu sócio e não tivesse nenhuma ligação com a igreja”, desabafou um dos responsáveis daquela congregação. Acrescentando de seguida que “deste modo, se um dia alguém fizesse um levantamento, como aconteceu agora, veriam que ele não tem nenhuma ligação com ele e nem com a igreja”.
No seu entender, este gesto do Apóstolo Valdomiro Santiago, mostra primeiramente que não houve má intenção de sua parte e, em segundo lugar, a legislação brasileira permite que as igrejas apliquem os seus recursos financeiros nos empreendimentos que quiserem.
Diante de tal facto ele não cometeu crime nenhum, pelo contrário, simplesmente investiu o dinheiro dos fiéis em património para a própria igreja.
“A Record pegou neste facto e com um jogo maldoso de media, porque a nossa igreja está a receber crentes desistentes da Igreja Mundial do Reino de Deus em todo mundo, e está a tentar manchar a reputação do Apóstolo”, disse o nosso interlocutor.
Um dos funcionários séniores da direcção da IMPD garantiu que o seu mais alto responsável entraria em contacto com a equipa de reportagem, para prestar mais informações sobre este assunto e com a autorização do Apóstolo Valdemiro Santiago, o que não aconteceu até ao fecho da presente edição.
Apesar de não esclarecer se reside num imóvel da Igreja ou arrendado, o nosso interlocutor disse que ele e os seus colegas expatriados residem num dos luxuosos condomínios que estão situados em Talatona, nas imediações da Casacom.
Para manifestar a sua intenção de contribuir para o desenvolvimento social de Angola, a Igreja realizará este sábado uma doação de cerca de cinco mil quilos de leite aos pacientes do Hospital Sanatório de Luanda. Quem procedeu de idêntica forma foi o director do Instituto Nacional Para os Assuntos Religioso, Manuel Fernando, que aceitou prestar declarações a O PAÍS assim que terminasse a reunião tinha marcada para esta quinta-feira, 22, com a ministra da Cultura, Rosa Cruz e Silva.
Paulo Sérgio
23 de Março de 2012

Comentários

Postagens mais visitadas