O PAPA ANUNCIA RENUNCIA -NA QUARESMA



Papa Bento XVI anunciou nesta segunda-feira (11) que vai renunciar a seu pontificado em 28 de fevereiro.
Vaticano confirmou a notícia e afirmou que o papado vai ficar vago até que o sucessor seja escolhido.
Veja a seguir a repercussão do anúncio:
saiba mais FONTE DESTA MATERIA G1
Alemanha
A Alemanha expressa seu “respeito” e sua “gratidão” ao Papa. “Como um cristão e um católico, não posso deixar de me comover e ser tocado por isso", afirmou o porta-voz do governo Steffen Seibert em entrevista coletiva.
Chanceler alemã
A chanceler da Alemanha, país natal do Papa, Angela Merkel, afirmou que “se o próprio Papa, após uma reflexão completa, chegou à conclusão de que não tem forças para continuar com seus deveres, então esta [decisão] tem meu máximo respeito”, afirmou.
Irmão do Papa
"A idade oprime", afirmou o irmão do Papa Bento XVI, Georg Ratzinger de Regensburg, ao sul da Alemanha. Ele disse que sabia de antemão sobre a renúncia e a qualificou de "processo natural".
Vaticano
“Nos pegou de surpresa”, afirmou o porta-voz do Vaticano, Federico Lombardi. Segundo Lombardi, o Papa renuncia em total "conformidade" com a igreja, mas continua até 28 de fevereiro com "bateria total". Segundo ele, o Papa tomou sua decisão com "grande coragem e determinação", "consciente dos problemas que a igreja enfrenta atualmente".
Bispo assistiu à renúncia
bispo mexicano Oscar Sánchez, que postulava a canonização da religiosa Lupita García Zavala durante o consistório (reunião de cardeais) em que o Papa renunciou, assistiu ao anúncio de Ratzinger. “[O Papa] disse com grandíssima sensatez ‘eu renuncio. Serei Papa até o 28 de fevereiro’. Ficamos impressionados. Os cardeais se olhavam uns aos outros”, disse.
CNBB
secretário-geral da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), dom Leonardo Steiner, disse que, apesar da "surpresa" com a renúncia, já havia percebido sinais de "dificuldades" físicas do pontífice, durante encontro em dezembro, em Roma. "Estava muito lúcido, muito presente em todas as discussões e muito bem humorado. Mas sentimos que, fisicamente, já vinha com dificuldades no caminhar."
Aparecida (SP)
O bispo auxiliar da Arquidiocese de Aparecida e ex-reitor do Santuário Nacional, monsenhor Darci Nicioli, de 53 anos, afirmou que a decisão "dói no coração". Segundo ele,brasileiros têm chance de assumir o papado.
Israel
chefe rabino de Israel Yona Metzgerafirmou, segundo seu porta-voz, que “durante seu período [como Papa] houve a melhor relação possível entre a igreja e o rabinato e nós esperamos que essa tendência continue”. Metzger ainda desejou “boa saúde e longos dias” ao Papa, conforme o porta-voz
França
presidente francês, François Hollande, afirmou que considera a decisão do Papa "respeitável". “Não me cabe fazer comentários sobre essa decisão que pertence à igreja. Não tenho que dizer se está correto. É uma decisão que reflete uma vontade que tem que ser respeitada”, afirmou a jornalistas em Pierrefitte-sur-Seine.
Pernambuco
“Nós ficamos surpresos com a notícia, mas nós entendemos perfeitamente. No próximo mês de abril, o Papa vai completar 86 anos. O cargo é muito exigente com viagens e o Papa com essa idade está muito fragilizado, ele tem em sua consciência que deveria renunciar”, disse o arcebispo de Olinda e Recife, Dom Fernando Saburido.
Salvador
"Foi para mim uma surpresa imensa porque no dia 9 de janeiro estive com ele", afirmouDom Murilo Krieger, arcebispo de Salvador e primaz do Brasil. "Me aparentava a idade que tem, mas parecia bem disposto, ele perguntou sobre Salvador. Para ter chegado a essa decisão, ele deve ter pensado muito, avaliado muito, rezado muito. Fez isso, certamente, sentindo que as forças que ele tem já não são suficentes para exercer a missao que ele exerce. É uma atitude baseada e fundamentada na honestidade."
Itália
primeiro-ministro italiano, Mario Monti, afirmou que está "muito alterado por conta desta notícia inesperada". "Soube desta notícia há um minuto", disse aos jornalistas durante um congresso em Milão.
Campinas (SP)
arcebispo metropolitano de Campinas (SP), Dom Airton José dos Santos, afirmou que "isso mostra a coragem e também a simplicidade do Papa de tomar uma decisão tão difícil como essa".
Brasília
"A Arquidiocese de Brasília recebe, com surpresa, a notícia da renúncia do Santo Padre. Em ligação telefônica com o cardeal Dom João Braz de Aviz, diretamente de Roma, confirmamos que a renúncia se dará no dia 28  de fevereiro após uma convocação do próprio Santo Padre. Convidamos toda a Arquidiocese para estar em oração com o Santo Padre nesse momento em que a Igreja mais precisa do seu Pastor", informou o padre José Emerson Barros Cabral, em nota à imprensa.
Reino Unido
primeiro-ministro britânico, David Cameron, afirmou em comunicado oficial que o Papa “trabalhou incansavelmente para reforças as relações do Reino Unido com a santa sede” e que “se lembra com grande respeito e carinho” da visita de Bento XVI em 2010.
Igreja anglicana
novo arcebispo de Canterbury, Justin Welby, líder espiritual dos anglicanos, declarou estar com o "coração pesado". O arcebispo de York, John Sentamu, favorito a liderar a igreja anglicana na Inglaterra, afirmou que o mundo cristão perde um “grande teólogo” em seu Twitter. “Com a notícia de que o Papa deixará seu posto ao final de fevereiro, o cristianismo perderá um grande teólogo com uma grande profundidade espiritual”.
Rio Grande do Sul
O bispo diocesano de Novo Hamburgo, Dom Zeno Hastenteufel, diz que foi pego de surpresa pela notícia. “Temos acompanhado o estado de saúde do Papa, mas ainda assim foi surpreendente. Bento XVI é conhecido por ser rígido, duro, dada sua personalidade alemã. Não imaginei que fosse, de fato, renunciar. No entanto, o mais curioso é ser uma renúncia com data marcada. Agora teremos um período de muita especulação e expectativa”, afirmou.
Santa Catarina
"Eu fiquei muito surpreso com a decisão do Papa e no início pensei que fosse boato", afirmou Dom Wilson Tadeu Jönck, arcebispo de Florianópolis. "Eu entendo as razões da renúncia dele, pois quando fui ao Vaticano ele apresentava dificuldade para andar, ele mostrava não ter saúde forte. Ele não sente mais a energia para enfrentar o que pode e deve ser enfrentado."
Paraná
“Estive com ele em Roma no ano de 2011, em um encontro com os bispos do Paraná. A gente ficou sabendo lá que ele não estava em plena saúde, mas nunca alguém disse concretamente o que o Papa teria de doença. Na carta que ele leu hoje pela manhã, ele reconhece uma incapacidade de adequadamente cumprir o ministério, o que mostra a grandeza e a santidade do Papa Bento XVI. Um grande homem, com grandes ideais”, afirmouDom Anuar Batisti, arcebispo de Maringá.
Inglaterra
arcebispo de Westminster e primado da Igreja Católica da Inglaterra e Gales, Vincent Nichols, afirmou que o Papa teve “grande coragem”. “Fazendo uma reflexão, estou seguro de que muitos reconheceram que é uma decisão de grande coragem e muita claridade de pensamento e ação”, disse em nota.
Panamá
arcebispo metropolitano do Panamá, José Domingo Ulloa, disse que a notícia “nos tomou de surpresa”. “Vemos a grandeza da figura do Papa e também a humildade de renunciar ao cargo por sua idade avançada e debilidade para seguir em frente do pontificado”, afirmou.
Irlanda
primeiro-ministro irlandês, Enda Kenny, disse que a decisão do Papa mostra “profundo sentido do dever”. “Claramente se trata de uma decisão que o Santo Padre tomou depois de meditá-la cuidadosamente e com muita oração e reflexão”, afirmou.
Pará
"Quando eu soube, fui surpreendido. Mas no meu interior eu tive a consciência da coragem e dá personalidade desse homem. Penso ser um grande exemplo, essa coragem", disse oarcebispo de Belém, Dom Alberto Taveira Correa. "Em novembro do ano passado, tive a impressão de que ele estava muito debilitado, com dificuldades para entrar nas cerimônias e subir as escadas. Mas em janeiro, a situação era mais animadora, já o via positivamente."

Comentários

Postagens mais visitadas